ESAB e Morro: eternas...

O "post" Bananal Antigo suscitou uma série de comentários que transcenderam a intenção deste blogueiro.
O que deveria ser uma brincadeira em tom nostálgico acabou virando um mural de sugestões pertinentes.
Primeiro, vários leitores relembraram o auge das escolas de samba ESAB (Escola de Samba Aprendizes de Bananal) e ESAR (Escola de Samba Acadêmicos do Ritmo), a popular Morro, comprovando que nem o tempo consegue apagar o brilho daqueles desfiles glamorosos entre os anos 60 e 80.
Na esteira veio a sugestão de se gravar um CD com os sambas de enredo dessas duas jóias do carnaval bananalense. O motivo principal é que esses sambas podem cair no esquecimento à medida que o número de pessoas que conhecem suas letras e melodias vai se reduzindo.
A sugestão comoveu este simplório blogueiro. Até porque me incluo nesse grupo restrito. Ainda assim, de forma precária porque sei apenas os sambas da ESAB. Felizmente, tenho amigos que conhecem os sambas do Morro.
Mesmo sendo suspeito na questão, pela identificação e envolvimento direto em alguns daqueles desfiles, considero relevante o registro para eternizar aquele período longínquo que nem todos tiveram a felicidade de vivenciar.
A gravação de um CD é difícil, mas não impossível. Juntando-se força de vontade e talentos, a iniciativa seria executável.
Até porque algo semelhante foi feito em 2002 com o CD “Cartão Postal Musicado de Bananal” com 20 músicas de talentos da nossa terra.
Mas isso é tema para o arquivo da Gazeta de Bananal que publicaremos no próximo final de semana.
Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.