SP fará vacinação de 530 mil profissionais da Educação e forças de Segurança Pública

 

Em abril, campanha inclui policiais, agentes penitenciários, bombeiros, guardas civis, professores e funcionários de creches e escolas

Com informações do Governo de SP e Agência Brasil

Professores e policiais civis e militares do estado de São Paulo serão vacinados contra a covid-19 a partir de abril. O anúncio foi feito hoje (24) pelo governo paulista.

Segundo o governo, serão vacinados 180 mil profissionais da área da segurança pública da ativa, de todas as forças. Isso engloba policiais militares e civis, bombeiros, policiais científicos, agentes de segurança e de escolta penitenciária, além dos efetivos das guardas civis municipais. Esta vacinação tem início no dia 5 de abril. A meta é vacinar todos os integrantes de forças de segurança que estão na ativa.

A partir do dia 12 de abril começa a vacinação dos 350 mil profissionais da área da educação com idade acima de 47 anos, que atuam em instituições desde creche ao ensino médio. Serão vacinados professores, diretores, inspetores e outros profissionais da educação. Para evitar fraudes, professores da rede privada terão que comprovar que fazem parte desse grupo prioritário de vacinação apresentando seus dois últimos contracheques.

“São Paulo é o estado que mais vacina no Brasil, com velocidade, eficiência e um programa estadual bem elaborado na logística e ação coordenada com as prefeituras”, afirmou o Governador João Doria. “É isso que está permitindo uma vacina efetivas, eficiente, sem perdas e com velocidade”, acrescentou.

“Desde o início da pandemia, nós potencializamos a atividade policial e nos submetemos à elevadíssima exposição”, afirmou o Secretário de Segurança Pública, General João Camilo Pires de Campos. “A vacina aos policiais, guardas civis e agentes penitenciários chega como uma benção.”

Já no dia 12, 350 mil professores e demais funcionários de escolas estaduais, municipais e particulares com idade a partir de 47 anos também serão incluídos na campanha. Para profissionais da rede privada, haverá apresentação obrigatória dos dois últimos contracheques para evitar fraudes na vacinação.

“São doses de esperança, para que as escolas não fechem mais e nossos estudantes possam recuperar e seguir o percurso de aprendizagem”, declarou o Secretário da Educação Rossieli Soares.

O público-alvo representa cerca de 40% de todos os profissionais da educação básica em São Paulo. Inicialmente, o Governo do Estado está priorizando profissionais com idade em que a incidência de casos moderados e graves da COVID-19 é mais alta.

Por meio de nota à imprensa, a Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Adpesp) disse que a vacinação de policiais era um dos pleitos da associação. “Desde o fim do ano passado, a associação vem alertando diuturnamente sobre a situação caótica enfrentada pelos policiais civis, que seguem exercendo suas funções, sem interrupção, desde o início da pandemia”, diz a nota.

O Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), por meio de sua presidente, a deputada estadual Maria Izabel Azevedo Noronha, também celebrou a medida nas redes sociais e destacou que essa era uma demanda dos professores do estado.

Hoje, o governo também anunciou a antecipação da vacinação de idosos de 69 a 71 anos para esta sexta-feira (26). Esta vacinação estava prevista para começar no sábado (27), mas vai ter início um dia antes. O governo espera vacinar 910 mil pessoas dessa faixa etária do estado.



Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.