Ponte do Rio Vermelho está com viga principal quebrada e leva perigo aos usuários.



Moradores do sertão do Rio Vermelho, na Serra da Bocaina em Bananal, estão preocupados com as condições da principal ponte de acesso da estrada, nas imediações da localidade conhecida por "Candinho". Segundo eles, a viga principal da ponte está quebrada e leva riscos a pedestres, carroceiros, cavaleiros, motociclistas e motoristas.

Sérgio Roberto de Rezende, proprietário de terras naquela região, declarou que os moradores fazem o possível pela conservação, mas os riscos são recorrentes sem um apoio constante dos poderes públicos. "Andei pregando um paus lá, pois nem moto passava mais. Ainda assim continua o perigo de cair algum carro e ter vítimas", diz Rezende.

A precariedade da ponte é prejudicial a uma gama de pessoas, enfatiza o morador. "Temos aqui diversas famílias. Pessoas idosas, doentes que dependem de ir a Bananal ao médico, além dos turistas, Todos correndo risco".

No dia 07 de dezembro do ano passado, Sérgio Rezende protocolou na Prefeitura um pedido de ajuda para a manutenção da ponte, salientando que os moradores estavam dispostos a ajudar na execução do serviço.

No protocolo foi solicitado o fornecimento de 4 vigas para a substituição das que estavam quebradas. Os moradores se comprometeram a comprar as madeiras do piso da ponte e ajudar na mão-de-obra. Eles anexaram no processo administrativo as fotos que ilustram esta matéria.

Na ocasião, a Prefeitura forneceu duas vigas de aço, retiradas de uma ponte reconstruída pelo DER na recuperação da rodovia SP-68. Também disponibilizou mão-de-obra para cortar e retirar pranchas de um eucalipto na Bocaina.



Os moradores, por sua vez, adquiriram mais algumas vigas para completar a montagem da ponte, cortaram as peças na área urbana, transportaram para o Rio Vermelho e fizeram a solda no local.

Agora, eles precisam novamente da Prefeitura para disponibilizar máquina e mão-de-obra para a retirada da ponte velha e montagem da nova.

Cientes das limitações da Prefeitura com a instalação de uma nova gestão em setembro, os moradores pretendiam continuar aguardando, mas a situação voltou a ficar preocupante com a ruptura da viga principal, tornando inadiável a instalação da nova estrutura. 


A ESTRADA

As condições da estrada rural também foram objeto de reclamação no requerimento protocolado em 2017. "Nossa estrada também se encontra em estado de calamidade", relata o documento. Os moradores pediram, então, caminhões de cascalho ou saibro, também se dispondo a espalhar o material pela estrada.

No documento é informado que, no passado, um funcionário da Prefeitura fazia "cortes de água e roçada na estrada", mas ele foi retirado e passou a trabalhar na SP-247, uma rodovia estadual. Formalizaram então o pedido de retorno desse funcionário à conservação da estrada municipal.

Diante deste quadro,  o temor de acidentes com vítimas continua a pairar sobre as imediações do Rio Vermelho.

Com a chegada do verão e o consequente aumento da incidência de chuvas, a tendência da situação é se agravar ainda mais, exigindo celeridade do poder público.


Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.