Flamengo manterá salários das vítimas do incêndio



A diretoria do Flamengo comprometeu-se a manter o pagamento dos salários às vítimas do incêndio de sexta-feira (8) em um dos alojamentos do clube, no Ninho do Urubu, como é conhecimento popularmente o Centro de Treinamento Presidente George Helal. A informação está em nota divulgada pelo clube no domingo (10).

"O Flamengo gostaria de reiterar que, independentemente de qualquer investigação, vem prestando todo o amparo às famílias dos atletas vitimados pela tragédia ocorrida no centro de treinamento, assim como aos feridos e sobreviventes. Neste momento, o clube, de pleno, assume o compromisso de manter a remuneração paga aos atletas vítimas do incêndio, sem qualquer prejuízo de outras ações adicionais de apoio que estão sendo implementadas", diz a nota.


Em outro trecho da nota, a diretoria do Flamengo ressalta que, de acordo com a empresa NHJ, responsável pelo alojamento de contêiner, a espuma usada no isolamento térmico e acústico não era inflamável. "Vale ressaltar que representantes da empresa NHJ - em reunião realizada na manhã deste domingo, na sede da Gávea – esclareceram que o poliuretano utilizado entre as chapas metálicas não é propagador de incêndios, por ter característica auto-extinguível."

Nesta segunda-feira (11), representantes do Flamengo deverão participar de uma reunião no Ministério Público (MP) para tentar esclarecer o que ocorreu no Ninho do Urubu. Também estarão presentes à reunião representantes de diversos outros órgãos da Justiça e da prefeitura do Rio.

IML identifica últimos dois corpos


Os dois últimos corpos de jogadores do Flamengo que estavam no Instituto Médico-Legal (IML) foram identificados neste domingo (10). Com a identificação, os corpos serão liberados para as famílias cuidarem do sepultamento.

De acordo com a Polícia Civil, foram identificados Samuel Thomas de Souza Rosa e Jorge Eduardo dos Santos Pereira Dias. Apesar do estado de carbonização dos corpos, os peritos puderam fazer a identificação, segundo a assessoria da polícia, através da antropologia forense, comparando as medidas dos ossos de cada um. Caso isto não fosse possível, a identificação seria feita por exame de DNA, que é bem mais demorado.
Com isso, todos os 10 atletas mortos no incêndio no Ninho do Urubu, na última sexta-feira (8), foram identificados: Arthur Vinicius de Barros Silva; Pablo Henrique da Silva Matos; Vitor Isaias Coelho da Silva; Bernardo Augusto Manzke Pisetta; Gedson Corgosinho Beltrão dos Santos; Athila de Souza Paixão; Christian Esmerio Candido; Rykelmo de Souza Viana; Jorge Eduardo dos Santos Pereira Dias e Samuel Thomas de Souza Rosa.

Feridos

Sobre os três atletas que sobreviveram ao incêndio e estão feridos, o Flamengo divulgou nota dizendo que dois estão em situação estável e o terceiro continua em estado grave, devido às queimaduras.
Segundo a nota, Cauan Emanuel e Francisco Dyogo permanecem em situação estável no Hospital Vitória. "Passaram a noite desta sexta-feira (8) sem complicações e se alimentam normalmente por via oral. Os dois atletas permanecem em tratamento no CTI, recebendo antibióticos venosos e suporte por máscara de oxigênio", diz o texto.
Em estado grave, o atleta Jhonata Ventura continua internado no Hospital Municipal Pedro II. "Ele passou as últimas 24 horas sem intercorrências e alterações laboratoriais significativas (...), está estável hemodinamicamente e sedado, com melhora dos parâmentros respiratórios, e permanece no CTI”, informa a nota divulgada pelo clube.
Por Vladimir Platonow - Repórter da Agência Brasil  Rio de Janeiro
Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.