SP registra queda de mortes por coronavírus por três semanas seguidas


Redução semanal é consistente desde o final de junho; taxa de letalidade cai ao menor índice da série histórica

Da Assessoria de Comunicação do Governo de SP

O Governador João Doria confirmou em coletiva nesta segunda-feira (13) mais uma queda, pela terceira semana consecutiva, no número de mortes pelo novo coronavírus no Estado de São Paulo. A menor taxa de letalidade por COVID-19 da série histórica também foi registrada em SP, com 4,8% nesta segunda – no início de maio, chegou a 8,6%.

“São boas notícias, mas que devem ser celebradas com muita moderação e muita solidariedade e nos colocar no foco das medidas de controle da pandemia e do atendimento de saúde. Não é hora de festejar ou sair para comemorar. É hora para estarmos concentrados, seguindo orientação da saúde e orando pela redução, como tem acontecido nas últimas três semanas, do número de óbitos em São Paulo”, afirmou o Governador.

Na última semana, houve 27 óbitos a menos em comparação à semana anterior – foram registrados 1.706 vítimas entre os dias 5 e 11 de julho, contra 1.733 entre 28 de junho e 4 de julho. A redução tem sido observada de maneira constante nas últimas semanas. Entre os dias 14 e 20 de junho, o número de óbitos foi de 1.913 óbitos; na semana seguinte, de 21 a 27 de junho, foram 1.769, uma diferença de 144 mortes.

No decorrer da pandemia, o estado tem um número acumulado de 374.607 casos confirmados e 17.907 óbitos referentes ao novo coronavírus. Dos 645 municípios, houve pelo menos uma pessoa infectada em 633 cidades, sendo 412 com um ou mais óbitos. Do total de casos diagnosticados de COVID-19, 230.680 pessoas estão recuperadas, sendo que 53.693 foram internadas e tiveram alta hospitalar.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 64,7% na Grande São Paulo e 66,1% no Estado. O número de pacientes internados é de 14.059, sendo 8.393 em enfermaria e 5.666 em unidades de terapia intensiva, conforme dados das 10h30 da manhã de hoje.


Perfil da mortalidade

Entre as vítimas fatais, 10.353 são homens e 7.554 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 74,7% das mortes.

Em relação à faixa etária, a mortalidade é maior entre 70 e 79 anos (4.368), seguida pelas faixas de 60 a 69 anos (4.195) e 80 e 89 anos (3.578). Entre as demais faixas, estão: os menores de 10 anos (23), 10 a 19 anos (34), 20 a 29 anos (145), 30 a 39 anos (595), 40 a 49 anos (1.244), 50 a 59 anos (2.493) e maiores de 90 anos (1.232).

Os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (58,5% dos óbitos), diabetes mellitus (43,3%), doenças neurológicas (11%) e renal (9,8%), pneumopatia (8,3%). Outros fatores identificados são obesidade (7%), imunodepressão (6,1%), asma (3,1%), doenças hepáticas (2,1%) e hematológica (1,9%), Síndrome de Down (0,5%), puerpério (0,1%) e gestação (0,1%). Esses fatores de risco foram identificados em 14.349 pessoas que faleceram por COVID-19 (80,1%).

Perfil dos casos

Entre as pessoas que já tiveram confirmação para o novo coronavírus, estão 176.963 homens e 197.378 mulheres.

A faixa etária que mais concentra casos é a de 30 a 39 anos (90.990), seguida pelas faixas de 40 a 49 (81.651), 50 a 59 (58.198), 20 a 29 (57.125), 60 a 69 (34.754), 70 a 79 (18.724), 10 a 19 (12.970), 80 a 89 (9.965), menores de 10 anos (7.167) e maiores de 90 (2.824).






Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.