Aterro sanitário de Bananal é considerado inadequado em relatório da CETESB.

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo - CETESB, órgão vinculado à Secretaria Estadual do Meio Ambiente, divulgou relatório que classifica a disposição final do lixo doméstico nos 645 municípios paulistas.
O Inventário Estadual de Resíduos Sólidos Domiciliares, relativo a 2010, mostra que o aterro sanitário de Bananal está na contramão do quadro de melhora obtido pela maioria dos municípios, figurando entre os 24 enquadrados na condição inadequada. Na região valeparaibana apenas Bananal e Silveiras estão nessa condição.

VERDE - Adequado   AMARELO - Controlado   VERMELHO - Inadequado


O índice atribuído a Bananal foi de 5,8 num universo de pontuação que vai de 0,0 a 10,0. Segundo a metodologia do relatório, as pontuações de 0,0 a 6,0 ficam enquadradas na condição inadequada. De 6,1 a 8,0 a condição é classificada como controlada, e de 8,1 a 10,0  considerada adequada.
Em 2009 o município chegou a obter a nota máxima, a exemplo do ano de 2005, mas oscilou drasticamente para baixo, perdendo 4,2 pontos em 2010.
A situação do aterro sanitário de Bananal destoa do panorama geral porque, tanto no âmbito estadual quanto no regional manteve-se o quadro de melhora nos índices em relação a 2009.
No estado, aumentou o número de municípios operando em condições adequadas (432 ante 425 no ano passado), correspondendo a 67% do total. Em situação controlada estão 189 municípios (29,3%) e na condição inadequada 24 (3,7%).
Na região, o estudo aponta 74% das 39 cidades com aterros sanitários adequados, 21% controlados e 5% (Bananal e Silveiras) classificados como inadequados. Silveiras, com 5,7, teve o pior índice da região. Apenas 0,1 ponto menor que a nota atribuída a Bananal.
Nos demais municípios do Vale Histórico, Arapeí (com nota 7,0) e Areias (nota 6,5) têm situação controlada. São José do Barreiro e Queluz, com a nota máxima, figuram na condição adequada. Por sinal, São José do Barreiro chega a ser exemplar porque consegue manter a nota 10,0 desde 2005. De 1997 - ano em que os índices passaram a ser medidos - a 2003, o município mal chegava a 2,0.   

Fonte: CETESB – Inventário de Resíduos Sólidos Domiciliares
Indices de Qualidade de Resíduos nos municípios do Vale Histórico
Ano / Municípios
1997
1999
2001
2003
2005
2007
2008
2009
2010
BANANAL
2,1
0,0
5,5
6,1
10,0
9,2
5,5
10,0
5,8
ARAPEÍ
2,6
1,9
1,5
2,3
7,0
8,9
7,5
7,5
7,0
SÃO JOSÉ DO BARREIRO
2,0
1,9
1,8
1,8
10,0
10,0
10,0
10,0
10,0
AREIAS
2,5
3,2
8,5
8,4
8,7
10,0
8,2
7,1
6,5
QUELUZ
2,0
6,0
4,5
6,5
8,1
8,2
5,8
10,0
10,0
SILVEIRAS
1,7
4,3
9,2
9,2
9,1
8,2
6,0
8,1
5,7

     O relatório trouxe ainda a análise de critérios das estimativas de produção de resíduos por pessoa e as políticas públicas e projetos ambientais apresentados pela Secretaria Estadual para Bananal.
Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.