Maestro Fausto, a Vida e o Infinito.


“Acontecem
coisas incríveis demais
com o meu próprio ser.
Coisas lindas, que jamais,
O mundo vai entender...
 (...)
 Sou alguém,
Sou um Ser,
E nem sei
Se sei ser este Ser,
Ou se sou capaz.”

Música “O Ser, a Vida, o Infinito”.


Faustusax em show com a Banda Gosto de Mel.


 Vitimado por um infarto fulminante, faleceu na manhã desta quinta-feira, aos 59 anos de idade, o maestro bananalense Fausto Santos da Fonseca.

Um dos mais talentosos artistas de Bananal, desde cedo mostrou sua vocação acompanhando a banda de música na qual seu pai, Sebastião Nardeli da Fonseca, fazia parte. 
Em plena juventude, nos anos 60, integrou conjuntos musicais realizando shows de grande sucesso em várias localidades.
Versátil e eclético, exercia o seu dom em qualquer estilo de música.
Nos carnavais, com um modo peculiar, comandou, através do apito, as baterias das escolas de samba locais em seus áureos tempos. Nos bailes carnavalescos, seu saxofone dava o tom do repertório das marchinhas nos salões.
Dirigindo a Banda Marcial da Escola Pandiá Calógeras, de Volta Redonda, obteve conquistas e reconhecimento por um trabalho marcante que até hoje é respeitado e usado como referência.
Com o nome artístico “Faustus” gravou nos anos 80 o primeiro disco cantando composições inéditas de sua autoria, fazendo também os arranjos. A maior parte do repertório com canções românticas em letras que refletiram sua inteligência e sensibilidade musical.
Após gravar outros trabalhos, nos anos 90 mergulhou no projeto “Cartão Postal Musicado de Bananal”. Um Cd reunindo os principais trabalhos de artistas, profissionais e amadores, ligados à cultura de Bananal.
O saxofone era o instrumento maior de seu talento e estilo. Dele extraía um som único. Potente e ao mesmo tempo suave, numa harmonia contagiante para o público. A identificação era tamanha que resolveu adaptar o nome artístico para “Faustusax”.
Gostava de ensinar música a quem demonstrava dedicação e vontade de aprender, principalmente os mais jovens. A seu modo incentivou gerações a fazerem da música não apenas uma profissão, mas uma disciplina de vida.
Para quem conheceu de perto tanto talento, fica a sensação de que ele poderia ter ido muito mais além no mundo artístico.
Seu legado, porém, fica reservado ao relicário da família bananalense, enriquecendo eternamente a cultura de nossa terra.


AVE MARIA
Instrumental - Faustusax
Foto: Banda Gosto de Mel
Show com Jane Leal, da Banda Gosto de Mel, em missa campal na Fazenda dos Coqueiros.
Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.