Renda per capita de Bananal cresceu 92,7% em duas décadas, segundo IDH.

A renda per capita média de Bananal quase dobrou nas últimas duas décadas. Ela cresceu 92,70%, passando de R$ 309,16, em 1991, para R$ 515,51, em 2000, e para R$ 595,74, em 2010.

O levantamento sobre a renda é um dos três indicadores que serviram para embasar o Índice de Desenvolvimento Humano de Bananal (IDH-M), divulgado recentemente pelo PNUD. Os outros dois fatores são educação e longevidade.

A taxa média anual de crescimento da renda dos bananalenses foi de 66,75%, entre 1991 e 2000, e 15,56%, entre 2000 e 2010.

A proporção de pessoas pobres, ou seja, com renda domiciliar per capita inferior a R$ 140,00 (a preços de agosto de 2010), passou de 51,19%, em 1991, para 22,30%, em 2000, e para 11,21%, em 2010. A evolução da desigualdade de renda nesses dois períodos pode ser descrita através do Índice de Gini, que passou de 0,61, em 1991, para 0,59, em 2000, e para 0,51, em 2010.

O índice Gini é um instrumento usado para medir o grau de concentração de renda. Ele aponta a diferença entre os rendimentos dos mais pobres e dos mais ricos. Numericamente, varia de 0 a 1, sendo que 0 representa a situação de total igualdade, ou seja, todos têm a mesma renda, e o valor 1 significa completa desigualdade de renda, ou seja, se uma só pessoa detém toda a renda do lugar.

Com esses indicadores é possível concluir que o número de pessoas pobres em Bananal caiu 28,89 % entre 1991 e 2000, e outros 11,09% na década seguinte.

Sendo assim, a pobreza no município de Bananal foi reduzida em consideráveis 40% nas últimas duas décadas.  



Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.