Começa a campanha nacional contra o HPV. Bananal fará vacinação em meninas de 9 a 14 anos.

Começou no dia 9 de março a campanha nacional de vacinação para proteger meninas com idade entre 9 e 11 anos contra o papilomavírus humano, o HPV.

Para receber a dose, basta apresentar o cartão de vacinação e o documento de identificação.

A Secretária Municipal de Saúde de Bananal, Sarah Bruno, informou ao jornal  que, em Bananal, a vacinação será feita em meninas entre 9 e 14 anos em todas as escolas do município, nas unidades de saúde da família e em regiões rurais distantes. O horário é de 8 às 17 horas.

O papilomavírus humano, vírus que causa o câncer de colo de útero, pode causar lesões na pele e mucosas e, quando não tratado corretamente pode evoluir para casos de câncer de útero. A vacina tem eficácia superior a 95%.

Em todo o Vale do Paraíba a meta é imunizar 43,5 mil crianças, correspondente a 80% desta faixa etária na região.

Todos os postos de saúde do Estado estão abastecidos com a vacina.

A imunização também será oferecida para a população indígena feminina, com idade entre 9 e 13 anos, além de garotas e mulheres portadoras do vírus HIV, na faixa etária dos 9 aos 26 anos de idade.

O governador Geraldo Alckmin salientou que "A vacina é extremamente eficaz. Evita o papilomavírus humano e faz com que as mulheres não tenham câncer de útero, que é uma doença grave".

A meta estadual é vacinar, até o final deste mês, 762,1 mil crianças no Estado, e 6,6 mil portadoras de HIV.

No país, o governo federal tem a expectativa de vacinar 4,94 milhões de meninas.

Para as meninas entre 9 e 11 anos e para o público feminino indígena com idades entre 9 e 13 anos, o esquema vacinal compreende mais duas doses aplicadas num intervalo de seis meses (segunda dose) e de 60 meses (terceira dose) com relação à primeira tomada.

As meninas e mulheres portadoras do vírus HIV, com idade entre 9 e 26 anos, devem tomar mais duas doses num intervalo de 2 meses e de 6 meses com relação à primeira aplicação.

As meninas de 11 a 13 anos que só tomaram a primeira dose no ano passado também podem aproveitar a oportunidade de se prevenir e procurar um posto de saúde ou falar com a coordenação da escola para dar prosseguimento ao esquema vacinal. Isso também vale para as meninas que tomaram a primeira dose aos 13 anos e já completaram 14. É importante ressaltar que a proteção só é garantida com a aplicação das três doses.

Segundo o ministro da Saúde, Arthur Chioro, este grupo de meninas, juntamente com as de 11 a 13 anos que foram vacinadas no ano passado, pode ser a primeira geração livre do risco de morrer deste tipo de câncer, que mata 5 mil mulheres por ano no país. O Ministro enfatizou que “A vacina é segura, previne em 70% as lesões que levam ao desenvolvimento do câncer e está disponível em mais de 30 mil postos de vacinação pelo país. Vale lembrar que não adiante tomar só a primeira dose. É necessário completar o ciclo para garantir a proteção dessas meninas”.
Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.