Veja os cuidados com crianças em aglomerações durante o Carnaval


Precauções com os pequenos evitam que a participação em passeios se transforme em experiência traumática para a família

Com a chegada do Carnaval, a preparação para a folia também deve envolver as questões ligadas às crianças que participam da festa. O cuidado com os pequenos envolve atitudes básicas no dia a dia e também em aglomerações, como em blocos ou eventos similares.
Em janeiro de 2019, o município de São Paulo registrou, em média, o desaparecimento diário de cinco pessoas de até 18 anos, de acordo com registros de Boletim de Ocorrência (BO) da Polícia Civil do Estado, por meio do Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap).
Dicas
Segundo Maria Helena do Nascimento, delegada de polícia titular da 4ª Delegacia de Polícia de Investigações sobre Pessoas Desaparecidas, do Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), algumas ações podem impedir que a participação em passeios se transforme em experiências traumáticas:
– Em lugares de grande fluxo, sempre segure as mãos dos pequenos (caso haja mais de uma criança, o recomendável é estar com mais de um adulto);
– Use pulseira fixa nas crianças, com identificação e contatos dos responsáveis;
– Tenha cuidado redobrado em espaços com aglomerações, como aeroportos, parques e feiras;
– Em passeios, não deixe as crianças distantes dos adultos;
– Preste atenção ao deixar os pequenos brincando fora de casa, pois uma criança não vigia a outra;
– Preste atenção nos aspectos psicossociais e aos relacionamentos familiares (crianças devem interagir com os demais membros).
Boletim de Ocorrência
De acordo com a delegada Maria Helena do Nascimento, o registro do Boletim de Ocorrência deve ser feito imediatamente quando se identifica o sumiço da criança, por meio da delegacia mais próxima ou da Delegacia Eletrônica, pela internet.
“Não é necessário esperar para fazer a comunicação à polícia. Além disso, os pais devem informar aos investigadores as características de quem desapareceu, como sinais e vestimentas”, ressalta. “Os responsáveis podem fornecem uma fotografia da criança, para inserção da imagem no site destinado à localização de desaparecidos”, acrescenta.
Tão importante quanto BO de desaparecimento é fazer o registro, também de imediato, quando a criança é localizada, uma vez que o RG fica bloqueado, em razão da investigação em curso, e a foto precisa ser retirada do portal sobre pessoas desaparecidas.
“Toda a comunidade tem que se comprometer com as questões ligadas ao desaparecimento de pessoas, principalmente de crianças. As polícias de São Paulo permanecem comprometidas com o tema”, afirma a delegada.

Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.