Bananal atinge 26 descartados e fica com apenas 3 suspeitas de Covid-19


Indicadores retomam o quadro do início da semana

Da Redação, com informações da Agência Brasil

Bananal vai terminando a semana com números bem menos alarmantes do que se esperava após o quadro epidemiológico dos dias 13 e 14, quando chegou a atingir 25 casos suspeitos e 28 em isolamento domiciliar.

O salto provocado pela inclusão de servidores da saúde que tiveram contato com uma pessoa que testou positivo para Covid-19 em dois plantões na Unidade de Saúde local foi elucidado com novos exames e testes rápidos que descartaram a suspeitas de infecção.

Com isso, o quadro chega nesta sexta-feira com novos descartes e apenas 3 casos suspeitos. Um desses casos foi incluído na quarta-feira. Em isolamento domiciliar, após entrarem e saírem pessoas durante a semana, o número chega a 7 monitorados.

RM Vale

São José do Barreiro descartou os 3 casos suspeitos que existiam em seu quadro e voltou a zerar neste indicador. Arapeí continua aguardando o resultado dos exames de um caso suspeito e monitorando 4 pessoas em isolamento domiciliar.

A prefeitura de Lavrinhas confirmou hoje o óbito de um homem de 85 anos por Covid-19. Ele estava hospitalizado em Cruzeiro.

Em Lorena, mais um caso de Covid-19 foi confirmado e o município soma agora 4 casos. Uma profissional da saúde que mora em Cachoeira Paulista está em isolamento domiciliar com a doença.

Nesta semana as boas notícias vieram de Guaratinguetá, que informou a cura da primeira pessoa infectada no município; e de São José dos Campos, que igualmente curou uma médica de sua equipe de profissionais da saúde.

A secretaria estadual de saúde passou a divulgar hoje também o número de profissionais do SUS no estado que estão afastados de suas funções em razão do coronavírus: são 1.557 profissionais, como médicos, enfermeiros, entre outros, removidos do trabalho em decorrência de terem apresentado síndrome gripal ou por já terem tido o coronavírus confirmado no organismo. 
Para os casos confirmados, o afastamento é de, ao menos 14 dias; para os suspeitos, sete dias. Segundo a secretaria, para suprir a demanda, o governo vai contratar, nos próximos dias, 1.185 novos profissionais da área da saúde.  

São Paulo

O estado de São Paulo teve um aumento de 71,8% no número de mortes em decorrência de covid-19 na semana encerrada hoje (17) em comparação aos últimos sete dias. Nesse período, 388 pessoas morreram devido ao novo coronavírus, segundo dados divulgados pela  Secretaria de Estado da Saúde. Foi a semana com o maior número de óbitos causados pelo coronavírus no estado. Desde o primeiro caso registrado em São Paulo, houve a morte de 928 pessoas pela doença.
Em relação a ontem, ocorreu o registro de 75 novos óbitos no estado, uma elevação de 9%, patamar que tem se mantido nos últimos dias, segundo a secretaria. O número de casos confirmados no estado atingiu 12.792, 1.224 a mais do que o registrado ontem (10% de elevação). De acordo com a secretaria, a fila de testes de coronavírus, que hoje é de 9,4 mil em espera, deverá ser zerada em cerca de duas semanas.  

Internações

O número de pessoas internadas no Sistema Único de Saúde (SUS) em unidades de terapia intensiva (UTI) em razão do coronavírus hoje no estado é 1.039. De acordo com a secretaria, o estado tem reservado para pacientes da covid-19 de 1, 8 mil a 2 mil leitos de UTI. No entanto, alguns hospitais estão chegando em sua capacidade máxima de atendimento intensivo. O Instituto Emílio Ribas voltou a ter 100% de suas UTIs ocupadas. 
Alguns dos hospitais que também estão sobrecarregados com o atendimento intensivo são o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), na capital paulista, com 84% dos seus leitos ocupados; o Hospital Mário Covas, em Santo André (SP), com 89% de ocupação; o Hospital Geral Santa Marcelina do Itaim Paulista (82%); e o Hospital Geral de Itapevi (78%).
O secretário de Saúde, José Henrique Germann Ferreira, voltou a afirmar que o único remédio encontrado contra a disseminação do coronavírus, até o momento, é o isolamento social. "O feriado agora [do próximo dia 21] não é férias. Nem é lazer, é ficar em casa. Cuide de seus idosos para que eles fiquem protegidos. Infelizmente, esse é o nosso remédio", disse.
Brasil

O Brasil bateu novo recorde de mortes em um dia, com 217, e chegou a 2.141 óbitos em razão de infecção pelo novo coronavírus (covid-19). Já os casos confirmados nas últimas 24 horas também foram recorde, com 3.257, contabilizando o total de 33.682.
A atualização foi divulgada há pouco pelo Ministério da Saúde na plataforma oficial do governo brasileiro que totaliza as estatísticas sobre o tema.
O número de mortes marcou um aumento de 11% em relação a ontem, quando foram registradas 1.924 vítimas da covid-19. Já os casos confirmados representaram um crescimento de 10% sobre os dados de ontem, quando foram contabilizadas 30.425 pessoas infectadas.
São Paulo concentra o maior número de mortes (928), quase três vezes o número do segundo lugar, o Rio de Janeiro (341). Os estados são seguidos por Pernambuco (186), Ceará (149) e Amazonas (145).  
Além disso, foram registradas mortes no Paraná (42), Maranhão (40), Minas Gerais (35), Bahia (36), Santa Catarina (29), Pará (26), Paraíba (26), Rio Grande do Norte (23), Rio Grande do Sul (22), Espírito Santo (25), Distrito Federal (20), Goiás (16), Amapá (10), Piauí (oito), Alagoas (sete), Sergipe (quatro), Mato Grosso do Sul (cinco), Mato Grosso (cinco), Acre (cinco), Roraima (três), Rondônia (três) e Tocantins (uma).
A taxa de letalidade do país ficou em 6,4%, um décimo acima do índice registrado ontem, de 6.3%.

Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.