Casos suspeitos em Bananal chegam a 33 após monitoramento de presentes em velório


Agora, quadro aponta uma pessoa internada sob suspeita de contágio e outros 32 casos em isolamento domiciliar

Por Ricardo Nogueira, com informações do Governo de SP e Agência Brasil

Dois dias após solicitar o contato de pessoas presentes ao velório de uma idosa (que não faleceu por Covid-19) no dia 8 de junho, a Vigilância Epidemiológica de Bananal registra em seu boletim de acompanhamento da Covid-19 nesta sexta-feira (12), 33 casos de pessoas monitoradas por suspeita de coronavírus.

O município estava com o quadro zerado no início da semana, mas no dia seguinte ao velório, pessoas que visitaram a idosa, internada fora do município, sentiram os sintomas. Uma pessoa, que não foi ao velório*, foi internada em Cruzeiro com suspeita do contágio e outras duas, que lá compareceram, testaram positivo e estão em isolamento domiciliar. Na quarta-feira, os três casos entraram no boletim e a Secretaria de Saúde, após reunião com a Comissão de Enfrentamento à doença no município, elaborou o comunicado solicitando o contato dos presentes ao velório.

Em vídeo publicado ontem pela prefeitura, o secretario da Saúde de Bananal, Pedro Luiz Santos Fonseca, tendo em vista a grande repercussão do episódio, afirmou que o velório da idosa, mesmo não sendo Covid-19 a causa mortis,  cumpriu o decreto municipal, permitindo apenas 5 pessoas no ambiente interno onde se vela o corpo, contando inclusive, com fiscais para monitorar a frequência. No entanto, por se tratar de uma senhora muito benquista por toda a cidade, ocorreu aglomeração na parte externa do velório da Santa Casa. Importante ressaltar que, até então, as 2 pessoas infectadas não apresentavam sintomas da doença, o que só ocorreu no dia seguinte. E elas procuraram a unidade de saúde logo quando isso ocorreu.

Baseado no imponderável da situação, no mesmo vídeo o prefeito Carlindo Nogueira Rodrigues reforçou o pedido para que se deixe restrito aos familiares velar os corpos, apesar do costume local de emprestar solidariedade às famílias enlutadas nessas ocasiões.

Ontem, o boletim surgiu com mais 31 casos suspeitos e hoje registra mais um. Contando com o caso internado, são agora 33 pessoas sob a suspeita de infecção pelo novo coronavírus.

São Paulo

O estado de São Paulo registra nesta sexta-feira (12) 10.368 óbitos e 167.900 casos confirmados pelo novo coronavírus. Entre as pessoas diagnosticadas com a COVID-19, 31.192 foram internadas, curadas e tiveram alta hospitalar.


Dos 645 municípios do território paulista, houve pelo menos uma pessoa infectada em 572 cidades, sendo 303 com um ou mais óbitos. As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 76,5% na Grande São Paulo e 69,1% no estado. O número de pacientes internados é de 14.056, sendo 8.557 em enfermaria e 5.499 em unidades de terapia intensiva.

Entre as pessoas que já tiveram confirmação para o novo coronavírus estão 78.912 homens e 88.127 mulheres. No caso de outras 861 pessoas, não foi informado o sexo.

A faixa etária que mais concentra casos é a de 30 a 39 anos (41.206), seguida pelas faixas de 40 a 49 (37.654), 50 a 59 (26.459), 20 a 29 (23.161), 60 a 69 (15.886), 70 a 79 (9.387), 80 a 89 (5.509), 10 a 19 (4.190), menores de 10 anos (2.549) e maiores de 90 (1.695). Não consta faixa etária para outros 204 casos.


Brasil


O Ministério da Saúde divulgou hoje (12) novos números sobre a pandemia do novo coronavírus (covid-19) no país. De acordo com levantamento diário feito pela pasta, o Brasil tem 828.810 casos confirmados da doença, e 41.828 mortes foram registradas. Os casos recuperados somam 365.063.
Nas últimas 24 horas, o ministério registrou mais 25.982 casos da doença e 909 novas mortes.
Entre a unidades da federação com o maior número de casos acumulados desde o início da pandemia,  o estado de São Paulo registrou 167,9 mil casos confirmados e 10.368 óbitos. Rio de Janeiro aparece na segunda posição com 77.784 e 7.417 mortes. Em seguida estão Ceará (75.705 casos e 4.788  mortes) e Pará (66.328 casos e 4.132 mortes).

De acordo com o Ministério da Saúde, 412.919 casos estão em acompanhamento e 4.033 óbitos em investigação.

* ERRATA - Ao contrário do que informava o texto original, foram 2, e não 3 pessoas, presentes ao velório que se encontram em isolamento domiciliar. A outra pessoa, internada em Cruzeiro com suspeita da doença, não compareceu ao velório.

A Gazeta de Bananal pede desculpas aos envolvidos e aos leitores pelo erro.

Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.