Em semana com 32 descartes, Bananal termina com 3 casos suspeitos de infecção pelo coronavírus


Semana teve pico de 38 suspeitos na quarta e havia caído para 1 ontem em Bananal. 
No país, números beiram 50 mil mortes e ultrapassam 1 milhão de infectados confirmados. 

Por Ricardo Nogueira, com informações do Governo de SP e Agência Brasil

O quadro epidemiológico oscilante desta semana em Bananal, que chegou a atingir 38 casos suspeitos, fecha, neste sábado (20), com 3 pessoas monitoradas com suspeita de contaminação pelo novo coronavírus.

No domingo (14) eram 34 pessoas com a suspeita. Na segunda (15) subiu para 36. Foi a 37 casos suspeitos na terça (16) e chegou a 38 na quarta-feira (17). Na quinta-feira (18) a boa notícia foi o descarte de 36 suspeitos, restando apenas 2. Caiu para apenas 1 caso suspeito na sexta-feira (19), mas ganhou mais dois neste sábado.

O boletim agora, além dos 3 casos suspeitos. mostra 113 casos descartados desde o início da divulgação 91 dias atrás. Continuam inalterados 1 óbito descartado e os 7 casos confirmados, com 5 recuperados e 2 em isolamento domiciliar.

O Brasil teve 1.022 novas mortes por covid-19 registradas nas últimas 24 horas, de acordo com atualização do Ministério da Saúde divulgada hoje (20). Com a soma dos novos números às estatísticas, o país chegou a 49.976 falecimentos em função da pandemia do novo coronavírus.

O balanço da pasta contabilizou também 34.666 novos casos da doença, totalizando 1.067.579 de casos confirmados. A marca de 1 milhão de infectados foi ultrapassada ontem (19).

Do total de casos confirmados de covid-19 no Brasil, 496.869 pacientes estão em observação e 520.734 foram recuperados. Há ainda 3.415 mortes em investigação.

A taxa de letalidade (número de mortes pelo total de casos) ficou em 4,7%. A mortalidade (falecimentos por 100 mil habitantes) foi de 23,8. Já a incidência (casos confirmados por 100 mil habitantes) ficou em 508.

São Paulo

O Estado de São Paulo registra neste sábado (20) 12.494 óbitos e 215.793 casos confirmados do novo coronavírus. Entre as pessoas diagnosticadas com a COVID-19, 37.180 foram internadas, curadas e tiveram alta hospitalar.Dos 645 municípios, houve pelo menos uma pessoa infectada em 601 cidades, sendo 332 com um ou mais óbitos.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 70,5% na Grande São Paulo e 66,5% no Estado. O número de pacientes internados é de 13.662, sendo 8.176 em enfermaria e 5.486 em unidades de terapia intensiva, conforme dados das 10h30 da manhã de hoje.

Entre as vítimas fatais estão 7.222 homens e 5.272 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 73,6% das mortes.

Plano SP


Foi apresentada na sexta-feira (19) a atualização semanal do painel de classificação de fases de retomada econômica do Plano São Paulo. Os municípios da DRS de Taubaté, incluindo Bananal, permanecem na fase laranja, de restrição parcial. Devido a indicadores preocupantes de saúde no enfrentamento ao coronavírus, as cidades dos DRSs (Departamentos Regionais de Saúde) de Barretos, Marília, Presidente Prudente, Registro e Ribeirão Preto estão na fase de restrição total a comércios e serviços não essenciais até a próxima revisão.

“Sempre que necessário, tomaremos medidas mais duras se assim for a referência do Comitê de Saúde. E avançaremos no Plano São Paulo se o comitê assim o referendar. Nenhuma decisão do plano de saúde do Governo de São Paulo é tomada por impulso político, vontade do Governador ou pressão empresarial, econômica ou política. Quem determina todas as ações é a saúde”, disse Doria.

A terceira atualização do acompanhamento da pandemia revelou indicadores satisfatórios de capacidade hospitalar e de variação de casos de COVID-19 na maioria das áreas das 17 DRSs, incluindo a capital e cinco sub-regiões da Grande São Paulo. Esse desempenho decorre da robusta ampliação de leitos conduzida pelo Estado neste mês, mas as variações semanais de internações e mortes ainda preocupam, o que deixa a maior parte dos municípios na fase laranja do plano.

Essa etapa prevê reabertura de imobiliárias, concessionárias, escritórios, comércio de rua e shoppings centers em horários restritos e com capacidade de atendimento presencial bastante reduzida. Bares, restaurantes, salões de beleza e academias continuam fechados ao público, mas podem funcionar em sistema de retirada na porta, entrega por telefone ou aplicativo ou atendimento domiciliar.

O Estado também detectou piora nos índices de cidades como Campinas e Sorocaba, por exemplo, mas os dados das respectivas regiões não indicaram a necessidade de regressão de etapa do Plano São Paulo nos demais municípios do entorno. Porém, as prefeituras de cidades com piora significativa receberão uma nota técnica recomendando restrições locais.

“Os municípios têm autoridade e autonomia para, dentro de sua região, seguir a flexibilização ou fazer um endurecimento. Esta autonomia vem compartilhada da responsabilidade sobre os indicadores da própria cidade”, disse o Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

Ele citou as Prefeituras de Jaguariúna e de Valinhos, ambas na região de Campinas e que adotaram medidas mais rígidas que as da fase laranja até que os indicadores locais de saúde voltem a melhorar.

Comportamento da pandemia

Na média estadual dos últimos sete dias em relação ao período anterior, houve redução na taxa de ocupação de leitos de terapia intensiva para COVID-19 de 69,1% para 66,5%, além de aumento na média de vagas por cem mil habitantes de 18,1 para 19,1.

Também na comparação entre os registros estaduais da semana atual com a anterior, as médias de casos e internações na comparação à semana anterior tiveram queda de 10% e 1% respectivamente. Entretanto, a taxa semanal de mortes subiu 7% em relação ao mesmo período da última reclassificação.

“Quero continuar fazendo um apelo à população do estado de São Paulo para que fique em casa e respeite a quarentena. Volto a lembrar, estamos em um período de quarentena, a recomendação do Governo é para que as pessoas permaneçam nas suas casas, exceto as que precisam sair. E, ao sair, usem máscaras, lavem constantemente as mãos e obedeçam ao distanciamento social de um metro e meio”, lembrou o Governador.



Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.