Bananal volta a ultrapassar uma centena de casos suspeitos neste domingo. Positivados ativos são 35, com 3 internados.

 

Positivados saltaram de 197 para 247 com pelo menos um novo caso registrado em cada um dos 13 dias de dezembro. Os casos suspeitos subiram de 67 para os 104 atuais.

Por Ricardo Nogueira, com informações do governo de SP

Os indicadores de Bananal no boletim epidemiológico para Covid-19 continuam piorando e estão prestes a igualar o início do pior período da pandemia entre o final de junho e agosto na cidade. Neste domingo, após longo período abaixo dos 100 casos, o boletim aponta a existência de 104 pessoas com suspeita de infecção pelo novo coronavírus. 

O boletim mostra também a progressão dos casos confirmados, com 32 pacientes em tratamento domiciliar e 3 internados em unidades hospitalares fora do município. Há seis dias o número de recuperados se encontra estacionado em 202 pessoas com alta.

Do início do mês até a presente data, os positivados saltaram de 197 para 247 com pelo menos um novo caso registrado em cada um dos 13 dias de dezembro. Os casos suspeitos subiram de 67 para os 104 atuais.

São Paulo

Dados divulgados pelo governo paulista para os órgãos de imprensa no início da tarde deste domingo(13) registram 44.018 óbitos e 1.334.703 casos confirmados do novo coronavírus. Entre o total de casos diagnosticados de COVID-19, 1.180.726 pessoas estão recuperadas, sendo que 143.387 foram internadas e tiveram alta hospitalar.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 65,1% na Grande São Paulo e 59,3% no Estado. O número de pacientes internados é de 10.805, sendo 6.105 em enfermaria e 4.700 em unidades de terapia intensiva, conforme dados das 12h deste domingo.

Hoje, os 645 municípios têm pelo menos uma pessoa infectada, sendo 599 com um ou mais óbitos.

Perfil da mortalidade

Entre as vítimas fatais estão 25.311 (57,5%) homens e 18.707 (42,5%) mulheres. Os óbitos permanecem concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 76,8% das mortes.

Observando faixas etárias, nota-se que a mortalidade é maior entre 70 e 79 anos (11.404), seguida pelas faixas de 60 a 69 anos (10.405) e 80 e 89 anos (9.038). Entre as demais faixas estão os: menores de 10 anos (54), 10 a 19 anos (75), 20 a 29 anos (353), 30 a 39 anos (1.238), 40 a 49 anos (2.849), 50 a 59 anos (5.650 e maiores de 90 anos (2.952).

Os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (59,9% dos óbitos), diabetes mellitus (43,2%), doenças neurológicas (10,8%), renal (9,4%), pneumopatia (8,3%). Outros fatores identificados são obesidade (8,3%), imunodepressão (5,5%), asma (3,1%), doenças hepáticas (2,1%) e hematológica (1,7%), Síndrome de Down (0,4%), puerpério (0,1%) e gestação (0,1%). Esses fatores de risco foram identificados em 35.309 pessoas que faleceram por COVID-19 (80,2%).

Perfil dos casos

Entre as pessoas que já tiveram confirmação para o novo coronavírus estão 620.761 homens e 707.564 mulheres. Não consta informação de sexo para 6.378 casos.

A faixa etária que mais concentra casos é a de 30 a 39 anos (314.848). As demais são: menores de 10 anos (33.703), 10 a 19 (66.391), 20 a 29 (230.380), 40 a 49 (272.693) 50 a 59 (198.243), 60 a 69 (121.027), 70 a 79 (60.755), 80 a 89 (27.994) e maiores de 90 (7.798). Não consta faixa etária para outros 871 casos.



Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.