Três meses após autorização, obras na SP-64 continuam sendo aguardadas.

Transcorridos três meses da assinatura de autorização para o inicio das obras na rodovia Álvaro Brasil Filho (SP-64), os usuários aguardam com ansiedade essas melhorias. A expectativa aumentou ainda mais com a colocação de placas indicativas da obra nos dois extremos da rodovia.
No dia 22 de outubro do ano passado, em visita à região, o então governador Alberto Goldman e o secretário estadual dos Transportes, Mauro Arce, participaram da cerimônia de autorização de obras em sete rodovias do Vale do Paraiba. Junto com a SP-64, estavam também as rodovias SP-68 (recapeamento da pista entre Formoso e Arapeí), a SP-99 (Tamoios), a SP-50 (Monteiro Lobato), a SP-123 (Floriano Rodrigues Pinheiro), a SP-66 (Geraldo Scavone – trecho entre Jacarei e São José dos Campos) e a SP-42 (Vereador Julio da Silva- divisa com MG).
O investimento total no lote de obras é de R$ 157 milhões em trabalhos de recapeamento de 211 km de estradas, pavimentação de acostamentos, melhorias na sinalização e nos sistemas de drenagem.
                                                                     Fotos: Milton Michida - Assessoria Governo SP
Em ato cerimonioso promovido na região em outubro passado, Alberto Goldman e Mauro Arce assinaram autorização para as obras na SP-64.

As obras integram o programa de recuperação de rodovias estaduais.
Os primeiros pedidos formais de inserção da SP-64 nesse programa e no Pró-Vicinais foi feito pela municipalidade de Bananal em maio e agosto de 2007 (ofícios GP n° 188 e n° 772-07) junto ao então governador José Serra. Na ocasião, o pedido da prefeitura relembrava a Serra que o asfaltamento da estrada, nos anos 80, foi realizado quando ele era Secretário de Planejamento do governo Montoro.
Os ofícios enfatizavam que “a SP-64 é o principal acesso de Bananal e região à Via Dutra, servindo de porta de entrada do nosso estado na divisa com o estado fluminense, fato que, por si só, justifica a necessidade de mantê-la em ótimo estado para retratar a pujança de São Paulo”.
Também afirmavam: “o recapeamento desta via estadual será garantidor do desenvolvimento do turismo no Vale Histórico, deflagrando um círculo virtuoso de novos investimentos, empregos e geração de renda em todos os segmentos econômicos locais”.
Meses depois, a Secretaria de Transportes respondeu que o primeiro lote de rodovias já estava definido, mas que, por determinação de Serra, a SP-64 seria incluída nos lotes seguintes, na região valeparaibana.
O empenho pela inserção no programa nos três anos seguintes não esmoreceu até a obtenção do êxito no ano passado. O governo paulista abriu a licitação, agendando a abertura dos envelopes para o dia 09 de agosto. A empresa S. O. Pontes saiu vencedora do processo de licitação.
Os trabalhos em 9,7 km da SP-64 consistem na execução das obras e serviços de restauração da pista e pavimentação dos acostamentos entre os quilômetros 320,3 e 330, no trecho entre o entroncamento com a rodovia SP-68 e a divisa com o estado do Rio de Janeiro (rodovia Alexandre Drable).
O investimento previsto é de R$ 8.161.247,59.
A ansiedade dos usuários pela obra é decorrente da piora nas condições de trafegabilidade. Desníveis e buracos na pista causam riscos aos motoristas e danos aos veículos, a despeito dos esforços do DER em suas rotineiras operações tapa-buracos.
      A possibilidade da obra ficar pronta antes do carnaval, quando o tráfego na rodovia fica mais intenso, é remota, pois os serviços a serem executados devem levar, no mínimo, três meses.
Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.