Ações no Sul Fluminense podem beneficiar Bananal a médio prazo.

  Uma série de medidas adotadas em Barra Mansa e Resende, cidades do Sul Fluminense que fazem divisa com Bananal, podem trazer benefícios indiretos ao município. São ações no meio ambiente, investimentos em estradas, abertura de pólos empresariais e avanços na qualificação profissional que podem proporcionar melhorias e novas perspectivas.

TRATAMENTO DE RESÍDUOS


  No setor de meio ambiente, mais precisamente em relação à destinação do lixo, será inaugurado no inicio do próximo ano em Barra Mansa uma Central de Tratamento de Resíduos (CTR), nas imediações do lixão às margens da RJ-157, que liga Barra Mansa a Bananal.
  Nos últimos anos Bananal tem enfrentado sérias dificuldades com o seu aterro sanitário. Em 2010, um relatório da CETESB sobre a disposição final de lixo doméstico dos municípios paulistas classificou o “lixão” de Bananal como inadequado. Não há mais como esconder que o local ultrapassou o limite de sua capacidade e a prefeitura precisa encontrar uma solução a curto prazo, seja nesta ou na próxima administração.
  O novo CTR em Barra Mansa pode ser a solução. O local, de dois milhões de metros quadrados, está sendo preparado para receber não só o lixo de Barra Mansa, mas também de municípios próximos. O investimento beira R$ 30 milhões. O aterro é uma das etapas da Central, que além de resíduos sólidos urbanos e domiciliares também receberá resíduos hospitalares (outro sério problema para Bananal), da construção civil e industrial não perigosos.
  Outro fator positivo é a recuperação ambiental da área do antigo lixão de Barra Mansa. Ele foi bastante utilizado pela prefeitura de Bananal, principalmente entre a década de 90 e meados dos anos 2000. Equipes estão trabalhando na redução do espaço de armazenagem do lixo e a área está sendo coberta. A partir de 2012 o chorume (líquido proveniente dos resíduos) será drenado e o início da cobertura vegetal transformará o local em um bosque nos próximos três anos.

ASFALTAMENTO DE VICINAL E PÓLO COMERCIAL


  Outras duas medidas estão também atreladas à RJ-157, prolongamento da SP-64 no lado fluminense.
  Uma delas é o provável asfaltamento da estrada do Rialto que pode servir de opção aos motoristas que desejarem utilizar o caminho, próximo à divisa de estados, para aquele distrito de Barra Mansa. A solicitação foi formalizada pela deputada Inês Pandeló (PT-RJ) em visita nesta semana ao DER do Rio de Janeiro. A benfeitoria seria uma extensão do asfaltamento da estrada Colônia/Rialto que já está em obras. 

Também às margens da RJ-157 está em fase de estudos a implantação de um pólo empresarial, dividido em lotes, que concentrará postos de distribuição e concessionárias. O projeto denominado ZEN-2 (Zona Especial de Negócios) é proposto pela prefeitura de Barra Mansa, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, visando atrair empresários em função da proximidade com a Via Dutra para o escoamento de produtos e serviços no eixo Rio-São Paulo-Minas.
  A ZEN-1, na região leste de Barra Mansa, ficará pronta em março, utilizando um espaço de 144 mil m² dividido em 23 lotes que despertaram grande interesse de empresas. O sucesso da medida deu sinal verde para a ZEN-2. Entretanto, outros dois locais disputam a preferência da prefeitura: um terreno na extensão da rodovia Presidente Dutra e uma área na rodovia Lúcia Meira (BR-393).


QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

  O crescimento econômico a olhos vistos da região sul fluminense tem acarretado benefícios indiretos a Bananal e outros municípios, sobretudo na oportunidade de empregos. Resende, Itatiaia e Porto Real tem absorvido mão-de-obra da cidade e as atenções agora estão voltadas para a qualificação dessa mão-de-obra.
  As projeções são auspiciosas. Além de montadoras já instaladas em Porto Real, a Nissan confirmou sua instalação em Resende projetando a geração de 20 mil postos de trabalho até 2020.
  E vem justamente de Resende uma grande conquista nesse setor.
  Um Campus Avançado do IFRJ ((Instituto Federal de Educação Ciências e Tecnologia do Rio de Janeiro) vai atender 15 cidades, Bananal incluída, graças ao Projeto Cercanias, lançado pela prefeitura resendense para promover ações para o desenvolvimento integrado dos municípios limítrofes dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. A relevância do Projeto Cercanias merecerá um post no blog durante esta semana.
  O IFRJ alcança todos os níveis de ensino, desde a formação inicial profissional até a pós-graduação, atendendo a necessidade da instalação de empresas na região.
  Ainda não foi definido em qual dos 15 municípios o campus será instalado. Ficou acertado que o terreno será cedido pela prefeitura da cidade que receber a unidade. Ele deverá ter 30 m² em área de fácil acesso para estudantes, professores e profissionais lotados no estabelecimento. Caberá ao Ministério da Educação as despesas com reforma ou construção do prédio, pagamento do corpo docente e mobiliário.
Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.