Em 2020, projeto selecionado pelo Proac terá espaço em Bananal para eventos multiculturais com diversos artistas


O Projeto ESPAÇO CULTURA de BANANAL - AMOVALE 2020 vai reunir artistas locais e de outros estados para uma grande confraternização multicultural entre março e junho

Da Assessoria de Comunicação da AMOVALE/Projeto Espaço Cultura Bananal

Música, poesia, circo, fotografia, cinema, teatro, jongo, dança e artesanato num mesmo espaço. Parece sonho, mas essa será a realidade de Bananal em 2020. A Associação de Moradores e Amigos do Vale da Bocaina – AMOVALE - foi contemplada com o edital do Programa de Ação Cultural do Governo de São Paulo e vai receber os recursos necessários para transformar a cidade num pólo cultural com eventos mensais. Artistas como Thiago Amud, Júlia Lemmertz, Claudia Roquete Pinto, Gilvan Gomes e Luiz Carlos Barbieri estão na programação que será imperdível.




Com 10 mil habitantes, Bananal não conta com nenhuma sala de cinema. A carência de cultura começa a mudar com o incentivo do projeto para manifestações e encontros artísticos. Os organizadores pretendem fomentar a identidade cultural dessa estância histórica, turística e ecológica. O projeto vai promover atividades de formação, resgatar a importante memória da cidade e de suas tradições. Além das belezas arquitetônicas e naturais, Bananal traz em suas raízes manifestações culturais como o Jongo desde a época da escravidão.

A coordenação do Espaço Cultura de Bananal - Amovale, estará a cargo das associadas Monica Alvarenga, diretora e produtora teatral há mais de 40 anos e Dora Lima, diretora e produtora de TV e cinema há mais de 30 anos.

As atividades do projeto serão divididas em turnos. Pela manhã teremos workshops e oficinas para crianças e jovens; à tarde, atividades de integração e intercâmbio cultural entre os artistas locais e os convidados de outras regiões, com aulas expositivas e trocas sobre seus respectivos processos criativos. À noite acontecem os shows com a participação de todos os artistas. Durante quatro meses serão realizadas 7 oficinas para crianças e adolescentes, 3 exposições (desenho e fotografia) e mais 23 eventos múltiplos.



O projeto vai acontecer entre março e junho de 2020, sempre no último sábado, durante todo o dia. O público estimado é de 1.500 pessoas de toda a região. As atividades vão acontecer no Ranchos Vale da Bocaina (Km 8 da SP 247), um local tradicional de encontros e manifestações culturais por estar localizado entre a serra e a cidade. O espaço nasceu há 28 anos fruto do sonho do violeiro e compositor  José Eguinaldo Mendes Leal, popularmente conhecido como "Baiano da Cesp", falecido recentemente, e que foi um dos sócios fundadores da Amovale. O local será modernizado para que o evento se torne fixo e tenha a estrutura permanente necessária para acolher o público de Bananal e turistas. Além disso, toda mão-de-obra contratada será local para fomentar a economia da cidade.

O acesso da população que não tiver condições de chegar até o local será oferecido gratuitamente pela organização do evento. Todas as oficinas, workshops e shows serão gratuitos.

A AMOVALE foi criada em 2013 e organiza mutirões de plantio em nascentes e áreas degradadas de Bananal para reflorestar a mata nativa do entorno do Parque Nacional da Bocaina, patrimônio mundial da Unesco. A instituição recebe apoio de organizações públicas e grupos internacionais para as atividades. É responsável, também, por projetos culturais e educacionais na cidade como o Som da Bocaina e o AmoMúsica.


Programação Completa

   28 de março - sábado   

10 horas ------------------------------


• Oficina de circo para a infância e juventude, com o artista circense Gilvan Gomes/RJ. Gilvan trabalhou com o Grupo Galpão/MG, Nós do Morro/RJ e Afroreggae/RJ entre outros, em vários estados do Brasil.

17 horas ------------------------------


• Atividades de intercâmbio e integração com Thiago Amud. Compositor, arranjador, cantor e violonista, considerado pela critica especializada “um dos mais surpreendentes artistas da canção brasileira contemporânea”; Henrique Bonna, bananalense, maestro da primeira orquestra de Viola Caipira do Rio de Janeiro, o CAIPIRANDO - ALMA CARIOCA DE VIOLA, que em 2014 foi reconhecida como Ponto de Cultura pelo Ministério da Cultura, por promover atividades culturais como Folias de Reis e rodas de violas no Rio de Janeiro, por meio da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural. Ele também atua como voluntário em Projetos Musicais, que levam a arte de pontear à crianças de escolas públicas, tais como o projeto AMOMÚSICA, da AMOVALE em Bananal/SP; Wagner Fernandes, nascido e criado em Bananal, músico e escritor, cujas obras retratam a cultura brasileira e possuem um forte sopro de inspiração que resguarda as memórias e as lendas do interior. Convidado especial da XIX Bienal Internacional do Livro no RJ, em 2019; e por fim, Claudio Gonçalves Belavista, bananalense, professor, músico e diretor da bateria da escola de samba da cidade. Juntos, os musicistas apresentarão seus respectivos processos criativos e irão ensaiar uma música para apresentarem à noite.

20 horas ------------------------------



• o Espaço Cultura de Bananal - Amovale 2020, será aberto oficialmente com uma exposição, do desenhista Ary Malik - carioca, morador de Bananal, com 25 anos de projetos de produção gráfica e publicidade com diversos trabalhos para centros culturais e museus nacionais, cujo tema será Serra da Bocaina e cidade de Bananal. No palco, os músicos Thiago Amud, Wagner Fernandes e Henrique Bonna farão apresentações individuais e em seguida, um número musical em conjunto. O músico bananalense Claudio Gonçalves Belavista, conhecido como Belinha, encerra a noite com seu grupo de Olodum.



   25 de abril - sábado   

10 horas ------------------------------

• Oficina de escrita criativa para a infância e juventude, com Silvia Carvão. Pós graduada em Leitura e Produção Textual, Silvia atuou como agente de leitura e criação literária em bibliotecas, empresas, bienais de livros e ONGS, como por exemplo, Fundação Biblioteca Nacional, Centro Cultural da Light- RJ, EMBRATEL e LER - Salão Carioca do Livro. Trabalha há 22 anos no Instituto Estação das Letras - RJ, e possui larga experiência em revisão de textos.

17 horas ------------------------------



• será a vez do intercâmbio e integração, onde o ator Julio Adrião, prêmio Shell de melhor ator em 2005, com mais de 20 anos de carreira, irá se encontrar com os atores e as cias. de teatro da cidade de Bananal, para apresentar seu processo criativo e trocar experiências.

20 horas ------------------------------



• inicia a apresentação com a leitura de poesia da poeta bananalense Gabriela Castro, de 21 anos - formada em Letras e Literatura e de Claudia Roquete Pinto, Prêmio Jabuti Poesia 2002, com diversos poemas incluídos em antologias nacionais e internacionais - pelas atrizes Júlia Lemmertz - com um vasto curriculo em cinema, com participação em mais de 30 filmes, televisão e teatro, premiada nos principais festivais do país - e, com a atriz e professora Municipal de Bananal Idalina Sabadine, que lerão trechos da obra da jovem poeta; após as leituras, teremos a apresentação do premiado espetáculo “A Descoberta das Américas”, do autor Dario Fo, com o ator Julio Adrião, há mais de uma década em circulação. A Descoberta das Américas, foi eleita como uma das 10 melhores peças de 2005. Participou de festivais no Brasil e exterior, representou o Brasil no Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica, o FITEI, e no MITO, realizado na cidade portuguesa de Oeiras, e no Festival MINDELAXT, em Cabo Verde. Este monólogo do ator Júlio Adrião, usa o mínimo de texto para interpretar o personagem central da trama com toda a crueza e o estado emergencial que o circunda. Para dar vida aos demais personagens - índios, espanhóis, cavalos, galinhas, peixinhos, Jesus e Madalena, estabelece com o público um código gestual, mímico e sonoro que aos poucos substitui a fala. A atuação lhe rendeu o Prêmio Shell de Melhor Ator no ano de estréia da peça.




   30 de maio - sábado  

10 horas ------------------------------



• terá início a oficina de fotografia para infância e juventude com Paulo Marcos, fotógrafo profissional desde 1974, formado nos EUA. Foi fotógrafo contratado pelas revistas Manchete e Veja-Rio e para o jornal O Dia. Foi também editor de fotografia do Dia, o Globo, Lance!, TV Globo e Brasil Econômico. Atualmente é sócio do Ateliê Oriente /RJ, onde ministra aulas de fotografia, exposições e encontros com profissionais de renome da área.

17 horas ------------------------------



• intercâmbio e integração entre os bailarinos da cidade e o bailarino e coreógrafo premiado Toni Rodrigues/RJ - pós graduado em estudos avançados de dança contemporânea, atual preparador corporal de diversos espetáculos teatrais no eixo Rio-São Paulo. Toni faz uma aula expositiva de seu processo criativo e apresenta o conteúdo que será aquecimento de chão, soltura articular, fortalecimento do centro do corpo e consciência dos apoios e exercícios de centro, valorizando coordenação motora e definição geométrica da relação corpo / espaço, até chegar às sequências coreográficas.

20 horas ----------

• a Cia. de Ballet de Bananal, apresenta uma pequena mostra de seu atual trabalho, e, logo em seguida, um solo com o bailarino Toni Rodrigues. As 20h40, inicia a sessão de cinema ao ar livre    com um Longa Metragem nacional, de forte relevância e pensado em sintonia com a região.

  27 de junho - sábado  

10 horas ------------------------------



• Oficina para a infância e juventude de artesanato com Monica Carvalho, artesã/RJ, trabalha com insumos da natureza produzindo obras de arte e biojóias com vasta experiência em workshops em todo Brasil, principalmente com os índios da Amazônia. As crianças e jovens trabalharão com sementes e materiais orgânicos colhidos por eles mesmos no próprio Ranchos do Vale da Bocaina. Os alunos da Rede Municipal de Ensino, e todos os outros, terão transporte gratuito de ida e volta.

17 horas ------------------------------

• Montagem de exposição de crochê com as Rendeiras de Bananal, que é o artesanato forte da região. O tema será de animais da Mata Atlântica e formas abstratas cujo conteúdo será trabalhado e direcionado previamente.

20 horas ------------------------------



• Festa Junina, com apresentações de música típica e releitura da música popular. A Orquestra de Viola Caipira, que em 2014, foi reconhecida por promover atividades culturais como Folias de Reis e rodas de violas no Rio de Janeiro se apresenta às 20h30; após a orquestra, será a vez de Luiz Carlos Barbieri, que ficou conhecido com seu trabalho no Duo Barbieri-Schneiter, com o qual realizou, por 14 anos, concertos nas principais salas de concertos do Brasil, além da Argentina, México, Itália, Áustria, Suíça e Portugal, tocando música caipira no violão clássico. Em 2016, Luiz Carlos Barbieri, implantou o projeto AMOMUSICA, desenvolvido pela AMOVALE, em parceria com a Escola da Familia, SP, atuando como coordenador e professor de violão. Quem se apresenta também são os músicos bananalenses Ernani Cabral e o grupo Xote na Estrada. Para encerrar a noite, o Jongo, com o grupo do Sr. Zézinho do Sancho, mais antigo jongueiro vivo de Bananal. Dança de roda de origem Africana muito praticada pelos antigos escravos desta cidade.




Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.