Secretária de Saúde fala sobre ações contra a Dengue em Bananal.


A Secretária Municipal de Saúde de Bananal, Sarah Bruno, relatou, em entrevista, a existência de 10 casos confirmados de dengue no município. Outros 23 casos suspeitos ainda não foram confirmados por exames laboratoriais.

A Secretária revelou os números em entrevista ao jornalista Ricardo Nogueira durante o jornal da rádio Estância do dia 24 de fevereiro. (ouça a entrevista no player abaixo, no final da matéria)

Ela detalhou os procedimentos adotados em relação ao atendimento dos casos suspeitos e também as ações que estão sendo adotadas por equipes do controle de endemias e de saúde da família nas áreas consideradas de maior risco. Ao mesmo tempo, salientou o quanto é importante a participação popular nas ações de combate ao Aedes Aegypti, eliminando ao máximo os criadouros do mosquito.

Após informar que o número de casos confirmados havia subido de 4 para 10 com a chegada de novos resultados de exames, Sarah Bruno explicou como funciona o trâmite do protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde.

“O paciente chega hoje na Unidade Mista com os sintomas da dengue e o médico já o trata como suspeito. É colhido um exame de sangue e ali não é feita a sorologia para detectar a dengue. Ali é realizado o monitoramento do número de plaquetas, se houve queda no número de plaquetas. Até 150 mil é considerado normal. O resultado sai na hora no laboratório da Unidade, e então o médico já notifica como caso suspeito de dengue. Após 5 dias o paciente retorna, o sangue é colhido novamente e esse exame é encaminhado para o Instituto Adolpho Lutz, em Taubaté. Isso é um protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde. Lá no Instituto é feita a sorologia para a dengue. Nesse intervalo, do 1º dia até o 5º dia, o médico ainda pede que o paciente retorne para um controle de plaquetas a cada 2 dias. No 5º dia é feito então o encaminhamento para Taubaté”.

Sarah Bruno informou também que a equipe de vigilância epidemiológica do município solicitou ao Adolpho Lutz que encaminhe o resultado dos exames por e-mail, visando maior celeridade na constatação dos casos. “Isso é importante porque quando a doença é constatada, a equipe do controle de endemias do município é acionada, vai até onde a pessoa mora e é feito um bloqueio por nebulização, não com o carro (fumacê) mas com equipamento costal para entrar no domicílio e realizar o trabalho num raio de 500 metros do local da notificação. Por isso, é importante as pessoas que tenham feito exames em laboratórios particulares também informarem à Secretaria de Saúde no caso de seus exames darem resultado positivo.”

“As notificações são lançadas num sistema, que é o SisaWeb e informado ao Ministério da Saúde quantos casos no município. A ação é de responsabilidade do município, mas existe um protocolo a ser seguido, estabelecido pelo Ministério da Saúde. Nós temos que trabalhar obedecendo esse protocolo e a Secretaria trabalha em cima de indicadores e as notificações são muito importantes para o trabalho”, disse ela.

Sarah Bruno enfatizou que a grande maioria dos casos confirmados é de um único local, o bairro Boa Esperança, nas localidades da Palha e Timborê. Lá estão intensificadas as ações de combate a criadouros, efetuadas pelas equipes do controle de endemias.

Sobre o tratamento dos pacientes a Secretária informou que hoje o Ministério da Saúde já determina o tratamento de hidratação nos casos suspeitos. Antes, o tratamento só iniciava mediante a confirmação da doença.

Sarah Bruno refutou comentários de que a Prefeitura está escondendo o número de casos na cidade. “Se antes isso era feito, eu não sei. O que importa é que hoje isso não existe. Não há o menor interesse em se esconder casos. Não tem como esconder a dengue. O Poder Público está fazendo a parte dele no atendimento médico, nos exames, nas notificações. É constatando o problema que vamos buscar resolvê-lo e isso passa pela ciência da população sobre os casos. E é a população o principal agente de combate à dengue. Eu até apelo para as pessoas nos procurarem para denunciar locais que estejam oferecendo riscos.”

Segundo o Ministério da Saúde, com a volta das chuvas, o número de casos de dengue aumentou 57% em todo o país. Levantamentos de âmbito nacional mostram que 80% dos criadouros estão no interior das casas.




Share on Google Plus

Sobre Ricardo Nogueira

RICARDO LUÍS REIS NOGUEIRA, jornalista (Mtb. 32.204 RJ), foi um dos fundadores do jornal, atuando como Diretor Executivo e Redator Chefe desde 1987. Atualmente, é o Editor Responsável da Gazeta de Bananal e coordena o projeto do portal eletrônico do jornal na internet.